“Meu último relacionamento durou bem pouco tempo. Conheci ela no corredor do ônibus, quando o semáforo ficou vermelho. A minha janela deu certinho para a dela. Ela vestia uma camiseta preta do Axl Rose e um chapéu de jazzista, nada de maquiagem. Eu tinha a cara enfiada num romance policial. Eu olhei, ela me viu. Eu desviei, antes da garota se dissuadir também. Voltamos a nos analisar. E sorrimos, inevitavelmente. Ela fez um biquinho doce e teatral com os lábios, sinalizando a vontade de um beijo inocente. Num raro lampejo de maturidade, botei a língua pra fora, girando a pontinha rugosa e pigmentada num movimento pseudo-sexy. Ela riu, baixou levemente o cenho, me achando pateta. Eu me estufei de orgulho por alargar aquele riso. O semáforo abriu e a gente parou de se ver. Ainda entornei o dorso para uma última olhada por cima do ombro. Não ia dar certo mesmo. Estávamos em lugares diferentes da relação, vivendo em direções opostas, a coisa andava rápida demais entre nós, e acho que as amigas dela não gostavam de mim. Mas foi bom e inesquecível, enquanto duraram os trinta segundos”
Gabito Nunes.    (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)

profundaria:

Quanto de mim tu aguenta em ti?


imnotjailbait:

if you ever think about opening up to someone, don’t. it’s pointless.


qoven:

American Horror Story: Lung Cancer


“Gostaria de dizer isto: acho estranho os adultos discutirem tão facilmente e com tanta frequência sobre coisas tão mesquinhas. Até agora eu achava que birra era uma coisa de criança e que a gente superava quando crescia.”
O Diário de Anne Frank  (via reativada)

thauwn:

things to start doing:

  1. drink more water
  2. carry a camera everywhere i go
  3. read more books than i already do
  4. go for walks
  5. do yoga more often
  6. go to bed earlier
  7. enjoy the little things
  8. go outside more
  9. stop comparing myself to others
  10. stick to my goals n stop putting things off
  11. write down my feelings
  12. smile more, especially at random people

by dropred